Urbanismo Tático Planejado com a comunidade

A combinação de planejamento de longo prazo com estratégias de transformações rápidas e baratas, que estimulam o exercício da cidadania e trazem um impacto positivo na qualidade de vida das pessoas, é chamada de Urbanismo Tático.

Urbanismo Tático

Urban Park East Village de San Diego

O termo foi popularizado nos EUA, em 2010, quando a The Street Plans Collaborative, empresa de design e planejamento, de Miami e Nova York, lançou o manual virtual com diversos exemplos de projetos táticos, “Tactical Urbanism: Short-Term Action/ Long-Term Change” (Ação de Curta Duração/ Mudança de Longo Prazo), em que o principal objetivo era mostrar com exemplos concretos que é possível tornar as cidades mais amigáveis a seus moradores, e motivar as pessoas a repensarem seus hábitos por meio de encontros e trocas que esses projetos possibilitam.

Várias iniciativas cidadãs em diversos lugares do mundo ocasionaram – e ainda ocasionam – a melhoria dos espaços públicos das cidades. Um dos cases mais conhecidos é a horta comunitária de Havana, em Cuba. Apesar de toda crueldade da ditadura imposta no país, e em um dos raros gestos de apoio ao desenvolvimento da sociedade cubana, no período pós Guerra Fria, frente a uma escassez massiva de alimentos, os cidadãos começaram a plantar alimentos em locais que estavam disponíveis. Em menos de dois anos ergueram-se jardins e granjas em todos os bairros da cidade.

Excluindo o caráter político local, o então governo aderiu a iniciativa, ao invés de inibi-la, e preparou políticas públicas para fomentá-la, desde incorporar o planejamento do Usufruto, legalizando-o e tornando livre o uso de terrenos sem uso e públicos para território produtivo. Também criou casas de sementes para prover recursos e informações a interessados, e estabeleceu uma infraestrutura de venda direta de mercados agrícolas para tornar as hortas rentáveis. Em 1998, mais de 8.000 espaços semelhantes foram reconhecidos oficialmente em Havana.

Outro exemplo é o parque urbano localizado no East Village de San Diego, Estados Unidos, projetado pela empresa Rad Lab. Com a participação massiva dos moradores locais, que ajudaram na seleção das atividades que seriam oferecidas no espaço, parte do custo da construção foi pago por meio do financiamento coletivo. O parque foi construído em um estacionamento cedido por uma imobiliária local, que também investiu em sua elaboração.

Em essência, as ações de Urbanismo Tático não distinguem do tradicional, quanto mais capital é investido em determinada área, maior a valorização fundiária da região, e suas vantagens são inúmeras. Além da alta capilaridade em potencial, por seus projetos serem menores e de rápida execução, eles impactam diretamente a qualidade de vida de seus moradores e transeuntes, colaboram para o crescimento financeiro local e podem ser considerados testes para investimentos maiores.

Para que os locais sejam capacitados e para que haja continuidade das ações propostas, é de suma importância a participação da sociedade civil em comum acordo com os gestores (sejam públicos ou privados), criando espaços que façam parte da cidade e “conversem” com ela, sem descaracterizá-la.

Serviço:
Fiabci-Brasil
(11) 5078-7778
http://www.fiabci.com.br/


 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.